07 julho 2014

Geração X

texto de Fabiana Gabriel

Essa semana recebi um e-mail de despedida de uma amiga e parceira de trabalho. Ela vendeu sua parte na sociedade da empresa que ela mesma havia montado, anos atrás, para tirar um período sabático. Vai para a Europa estudar gastronomia e fotografia, suas duas paixões.

Não é a primeira nem última amiga minha, por volta dos 35 anos, com uma carreira bem sucedida e vida estável, que toma essa decisão. Uns três anos atrás, um amigo próximo um dia disse adeus ao emprego que tinha. Todos ficaram meio surpresos. O cara trabalhava há mais de uma década em grandes empresas, era respeitado e tinha uma vida confortável no Rio de Janeiro. Mas encheu o saco. Resolveu estudar Gestalt, voltou pra Florianópolis – sua cidade natal – e abdicou de grande parte do conforto em busca do que o faria feliz de verdade. Ele nunca mais fez uma apresentação de power point na vida, usa o excel apenas para controlar seus gastos mensais e esbanja um brilho nos olhos toda vez que nos vemos.

Fato é que histórias como essas têm sido cada vez mais comuns na minha geração. Enquanto todos se preocupam com a urgência e ambição da Geração Y, a Geração X, imediatamente anterior, está repensando seus conceitos e valores. Fomos criados acreditando que uma vida feliz era falar línguas, fazer carreira, trabalhar a vida inteira numa ou duas grandes empresas, comprar o apartamento próprio, construir uma família para sempre e ir pra Disney (ou Paris) uma vez por ano. Uma vida estável e fixa, sem rompantes de aventura.

Acontece que grande parte da Geração X chegou aos 30, 40 anos e descobriu que para juntar meio milhão e dar entrada, com sorte, num apartamento modesto que irá pagar até seus 60 anos, o caminho é longo e o preço é alto, bem alto. Os poucos que conseguem, heroicamente, conquistar seus bens e sonhos sem a ajuda dos pais, estão exaustos. Olham em volta e mal têm tempo de curtir os filhos ou as férias exóticas que sonham (e têm dinheiro para tirar) para a Tailândia, Marrocos ou Havaí. Há também aqueles que ficaram tão ocupados em conquistar aquilo que lhes foi prometido que deixaram para “daqui a pouco” os filhos, os hobbies e a felicidade e perceberam, agora, que “desaprenderam a dividir”.

No meio disso, veio essa sedutora mobilidade contemporânea, mostrando a nós o que nossos pais ainda não podiam nos ensinar, que é possível existir estando em qualquer lugar e que não é uma mesa de escritório ou um cartão de visitas que nos faz mais nobre, mas sim aquilo que de melhor podemos oferecer ao mundo. Só que descobrimos isso depois de passarmos grande parte da nossa juventude preocupados em nos sustentar, sermos bem sucedidos, conquistar prestigio e reconhecimento. Para, enfim, ter a liberdade de chutar o balde e sair por aí…

06 julho 2014

O Brasileiro e sua péssima mira


Vasculhando as gavetas nas Redes Sociais encontrei uma vasta coleção de munições de todos os tipos, tamanhos e procedências. 

Chumbo do Grosso... destes que estraçalham tudo o que está pela frente e causam danos irreversíveis. 
O problema é que a grande maioria deles direcionados aos alvos errados. 
Quando o corpo de Neymar foi retirado do campo numa maca que mais parecia com aquelas caixas do IML, os torcedores brasileiros perceberam que algo de grave havia acontecido. 
A comemoração pela vitória da seleção deu lugar a uma grande preocupação pela baixa de um dos maiores ícones do Futebol Mundial que fora atingido de forma maldosa dentro do grande coliseu armado para receber os jogos. 
Das janelas de seus computadores, celulares e aplicativos, 
imediatamente milhares de atiradores começaram a disparar suas "metralhadoras cheias de mágoas" contra o Jogador e contra a preocupação natural de quem tem um PINGO que seja de empatia por SERES HUMANOS, pelo ocorrido. 
Independente de ser contra ou a favor dessa Copa do Mundo, ali jazia um jovem e junto com ele um sonho que fora abreviado de forma covarde. NÃO MENOS COVARDE do que as centenas de vidas que não foram poupadas com anos de descaso com a saúde PÚBLICA E PRIVADA (Os planos de saúde aumentaram 9% durante a copa e são em grande maioria UMA BOSTA ) desse país... NÃO MENOS COVARDE do que a irresponsabilidade dos engenheiros e empreiteiros que construíram o VIADUTO QUE DESABOU, MATOU E FERIU pessoas em BH às vésperas de receber uma semi-final deste grande evento e foi tratado como se fosse NORMAL desabar algo de tamanha grandeza no meio de uma cidade tão importante do Brasil. NÃO MENOS COVARDE do que os milhares de perfis no Twitter e no Facebook que começaram a desaguar, como se fossem a tempestade que devastou o planeta terra na época de Noé, quase que num orgasmo mórbido de VINGANÇA por tudo de errado que acontece nesse território na direção do ídolo. 
"O Neymar é rico pode pagar um bom hospital. E as centenas de pessoas anônimas que morrem todos os dias nas filas esperando e não tem tal comoção" - cuspia um. 
"Bem feito, agora quero ver ir para o SUS" - espatifava o outro. 
"Ninguém falou nada sobre as pessoas que morreram com a queda do Viaduto" - arremessou o outro. 
E assim milhares de tiros foram errando os alvos.

O QUE UMA COISA TEM A VER COM AS OUTRAS?

Me posicionei contra OS GASTOS absurdos relacionados ao evento. Questionei os legados e o ônus que a Copa deixaria para o Brasil. NÃO ACEITEI O CONVITE PARA PARTICIPAR DE 2 SHOWS PARA A FIFA - no FIFA FAN FEST - por acreditar que seria incoerente da minha parte tecer críticas a tal situação e me aproveitar dela de alguma forma. Declinei convites para assistir jogos nos melhores lugares ao lado de grandes artistas e celebridades por entender que não faria sentido questionar os CUSTOS e fingir que tudo estava bem dentro dos estádios maravilhosos - ao contrário de GRANDE PARTE DAS PESSOAS QUE ACHAM QUE POLÍTICA E FUTEBOL NÃO TEM RELAÇÃO. 
(ou preferem acreditar nisso para desfrutar dessa festa linda) 
E mesmo aqui, na minha página, no meu espaço, com minhas relações, minhas questões, minhas provocações, eu não deixei de entender que embora o FUTEBOL entorpeça e cegue o grande público, torcer pela seleção seja um direito individual de cada um e que aqueles profissionais que lá estavam, representando seus países num momento tão importante para a humanidade, numa celebração sem tamanho entre povos do mundo inteiro, desafiando todos os prognósticos caóticos que foram previstos para acontecer ao longo da competição, tão somente ESTÃO CUMPRINDO com suas realizações profissionais. 
"A seleção não tem CULPA pelas merdas que OS ( SALIENTO O "OS" ) Governos fizeram ao longo de todo esse processo". 
De fato os jogadores não tem culpa. 
Cada qual torce para o que quiser, expressa o que quiser e como quiser e se indigna com o que achar mais relevante.

Todavia - mirar no ALVO CERTO me parece um exercício que devemos, COMO NAÇÃO, experimentar aperfeiçoar. São inúmeras contradições as quais estamos expostos, pois estamos lidando com PAIXÕES e PAIXÕES sempre nos confundem. Porém já diante de tanta confusão espalhadas pelas redes sociais, direcionar o ÓDIO que talvez muitos de nós estejamos sentindo com relação a tudo de errado que já foi feito no Brasil - DESDE 1500 - num atleta e desejar tanta coisa ruim e despejar tanto sentimento negativo, NÃO ME PARECE A MELHOR FORMA DE DEMONSTRARMOS NOSSA REVOLTA.

Me dou o direito ATÉ DE TORCER CONTRA A SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL - se eu quiser, mas JAMAIS DE CONCENTRAR ENERGIA RUIM em algo tão triste na vida de uma pessoa que sofreu um dano tão infeliz num momento tão especial de sua vida. 
Acredito eu, que jogar a Copa do mundo vestindo a camisa da seleção Brasileira no seu país seja o sonho de muitos garotos desse lugar e quando um sonho é interrompido de tal forma, seja do NEYMAR ou de qualquer pessoa, o mínimo que podemos demonstrar seja COMPAIXÃO.

O QUE VIMOS E ESTAMOS VARRENDO pelos arredores dessas páginas azuis - são manifestações estúpidas que deveriam ser direcionadas a OUTROS ALVOS. Na verdade não seriam nem palavras e sim atitudes, que não conseguimos nunca colocar em prática quando precisamos de FATO mudar ou cobrar ALGUMA COISA.

Fiquei vermelho de vergonha de tanta coisa ridícula que li. E olha que sou atacado 24 horas nessa página todos os dias.

Não sou EU O SEU ALVO, não é o NEYMAR O SEU ALVO, Não são aqueles que lutam por um país melhor, seja defendendo um time de futebol ou cantando uma música, ou nas ruas PROTESTANDO PARA QUE VOCÊ DESFRUTE DE UM PAÍS MAIS JUSTO. 
O seu alvo está DIANTE DO REFLEXO DA TELA DESSE COMPUTADOR QUE ESTAS LENDO. O seu alvo é VOCÊ MESMO. 
Porque VOCÊ é o único capaz de mudar o que acha que está errado no BRASIL e não será descarregando sua fúria em REDES SOCIAIS que fará isso.

Nosso problema é que estamos constantemente ATACANDO OS ALVOS ERRADOS enquanto os VERDADEIROS RESPONSÁVEIS passam despercebidos acenando e sorrindo e muitas vezes sendo aplaudidos pelas mesmas pessoas que descarregam suas metralhadoras em quem tenta fazer daqui um lugar melhor.

Só acho. 
Se olhar nesta página, verá que nenhum dos fatos ocorridos no Brasil nos últimos tempos foram negligenciados. Nem as chuvas no Sul do País, nem as Secas no Nordeste do País, nem as tragédias nos hospitais, nas escolas e em todos os cantos por onde nós brasileiros vivemos o cotidiano.

Quando a festa acabar, por favor - arrume suas coisas e mãos a obra. 
ACORDA BRASIL.


Texto de Tico Santa Cruz

27 junho 2014

7 coisas para ABANDONAR e ver seus projetos darem certo

1. Procrastinação
Enrolar, deixar pra depois, amanhã eu faço… Se você quer ver seu negócio dar frutos, vai ter que cortar essa erva daninha pela raiz. Em primeiro lugar, é bom entender que por trás da procrastinação muitas vezes está o perfeccionismo. A exigência da perfeição pode estar fazendo você querer dourar demais a pílula, enrolar para lançar seus projetos. Drible isso com muito pé no chão e ação. Já!

2. O medo do julgamento ou “o que os outros vão pensar?”
Essa preocupação bloqueia sua criatividade, mina sua autoconfiança e ainda dá força para a procrastinação. Claro, você não pode esperar lançar um produto e achar que não importa o que seus clientes pensam. A questão é: pra saber o que seu cliente pensa, não dá para ficar criando hipóteses e mais hipóteses na sua cabeça, precisa agir, perguntar, interagir, colocar sua ideia no mundo.

3. Desista da necessidade de estar sempre certo
Filho do medo do julgamento, o medo de errar também paralisa. Porém o mais curioso nisso é que esse medo nos cega para o seguinte fato: se não estivermos em nosso verdadeiro caminho, as coisas já estão erradas. É ou não é?

Então, viva, se lance, se tropeçar, levante, caminhe, lance sementes, faça acontecer.

4. Abandone papos negativos
Se você quer crescer, precisa se cercar de pessoas, climas e ideias que promovam crescimento. Começando por suas conversas internas e se expandindo para o cotidiano. Não alimente papos que diminuam os seus sonhos, que acabem com sua esperança, que coloquem em dúvida o seu potencial.

5. Pare de criticar e reclamar
O clima da reclamação e da crítica alimenta os papos ruins, climas sabotadores e crenças negativas. Experimente: 21 dias sem reclamar ou criticar nadinha! Se criticar ou reclamar, volte a contagem. Supere esse vício, já!

6. Deixe de resistir à mudança
Vivemos na tendência à inércia, a se manter no mesmo lugar, no que já é conhecido. Ressignifique isso! Mudar é bom. Mudar é positivo. Mudar faz a gente crescer e conhecer novos ares. Abrace a mudança!

7. Desapegue das velhas desculpas
Elas não servem mais para você, não condizem com a nova vida que você quer levar. E o principal: você não precisa delas para se proteger. A partir de agora você tem outros escudos mais eficazes: seu trabalho, seus sonhos, sua vontade, sua energia positiva, sua criatividade. Você tem boas companhias para seguir crescendo, abandone o medo e siga em frente.

O que mais você precisa abandonar? E que novas atitudes você escolhe para lhe acompanhar?

Pense nisso. Tome essa nova perspectiva nas mãos.

Texto de Juliana Garcia

14 junho 2014

Bem vindo a nossas redondezas

O brasileiro é um povo que adora tirar sarro dos outros, com piadinhas para portugueses e dessa vez inovamos com um comercial que dá boas vindas para os estrangeiros, o primeiro comercial foi para os italianos (particularmente eu adoro este

Italianos, tutti da famiglia, tutti buona gente
Cantando “mama mia”
Vocês nos deram o maccheroni, o cannellone e o panettone
etecetera, etecetera e o melhor, vocês nos deram tetra

 

Comercial da Skol tirando sarro dos italianos quando nos tornamos TETRA…

E outro país que também foi alvo da brincadeira, São os INGLESES, e a música, cantada em coro, adapta a famosa frase “The book is on the table” com um trecho do hino do Reino Unido “God seve the Queen”. No fim, os brasileiros zoam dos ingleses que, apesar de serem os inventores do futebol, não ganham um Mundial desde 1966, quando venceram em casa por 4 a 2 a Alemanha Ocidental

Bigode, serve the queen
the Skol is on the table
Bigode, serve the queen
Eles inventaram o futebol
England! England!
E não ganham nada desde 66

Comercial fazendo “deboche” inteligente aos inventores do futebol…

Apesar de não beber, acho um máximo os comerciais da SKOL (a do carnaval foi uma das melhores), Brasileiro é assim, faz graça com tudo, vamos ver quais serão os próximos comerciais da série.

05 junho 2014

Saudade pra sempre

Ultimamente ando saudosista, e dentre esses momentos utopicos de um futuro como o passado, saudades do meu irmão que partiu há pouco, saudade da minha amiga que também se foi (15 dias antes de meu irmão), saudades de ser feliz, de ainda fazer planos, esse sentimento de saudades me fez apenas ouvir as músicas da bendita época de ouro na minha vida, então desencavei uma versão de Lost in love do Air Supply, cantada pela banda LIMÃO COM MEL:

Pra Sempre
Limão Com Mel
Compositor: Batista Lima

Senti no peito o amor surgir, quando olhei pra você
eu logo senti que o meu coração ia ser todo seu pra sempre

meu corpo sente a falta do seu e isso é bem mais
mais forte que eu e tudo me faz lembrar de você cada instante

sinto o teu perfume e a saudade entre nós
lembro o teu sorriso, e o som da tua voz

o nosso amor não da pra esquecer eu ja me entreguei
já me apaixonei e tudo que sei é que o meu coração reclama

meu corpo sente a falta do seu e isso é bem mais
mais forte que eu tudo me faz lembrar de você cada instante

sinto teu perfume e a saudade entre nós
lembro o teu sorriso, o som da tua voz

senti no peito o amor surgir, quando olhei pra você
eu logo senti que o meu coração ia ser todo seu pra sempre

pra sempre

sinto teu perfume e a saudade entre nós
lembro o teu sorriso e o som da tua voz(tua voz)

Nosso amor não da pra esquecer
eu ja me entreguei ja me apaixonei
e tudo que sei é que o meu coração reclama
seu amor, seu amor. seu amor

01 junho 2014

1º mês sem você

I
Hoje faz exatamente 1 mês que você se foi, e anda não conseguimos nós acostumar, o coração dói a cada vez que nós deparamos com essa triste realidade, a falta que você tem causado é significamente dolorosa, um dia, quando adolescente você fez uma ameaça do tipo: "O dia que eu morrer vocês se lamentarão!" Sempre dizias essas palavras em momentos de raiva e posso dizer você tinha razão, não tem como não sofrer essa ausência.
Ontem quando voltamos do cemitério, em um momento de oração para que você também se conforme com essa nova situação eu tive uma das experiências mais chocantes que poderia ter tido, senti sua presença passar por mim no corredor do apartamento o de moramos, e tive a certeza disso quando nossa Mariana sorrindo, disse: "Titio!"
Tenho certeza que você está tentando nos ajudar como você pode, peço apenas que você ajude ainda mais nosso pai, ele tem chorado e pedido a morte por conta da dia ausência... Ele sofre ainda mais porque você era o filho mais amoroso, atencioso, carinhoso que eu. Você entende?
Te amo meu irmão, sinto pena por não ter te dito diretamente para ti essas palavras, mas espero que vc lembre que indiretamente eu te abraçava e você com um senso de humor gritante sempre me respondia: "Não tenho dinheiro!" Era amor, acredite!

19 maio 2014

Saudades

foto rosto

Falar do meu irmão é algo tão natural, porque as palavras fluem, o estranho é pensar que a partir de agora todo verbo que utilizar para me referir a quem ele será no pretérito imperfeito.

Ele foi concebido, amado e aguardado como todo pai e mãe que anseiam por um filho o fazem, mamãe não sabia o sexo e porque naquela época a ultrassom era algo caro e meu pai sabia que seria um menino, veio 3 anos depois de mim, eu gostava da ideia de ter um irmão, porque até conversava com ele na barriga da minha mãe. Meus pais não cansavam de dizer como foi o parto dele, diziam que ele não queria nascer, acho que já sabia que este mundo era muito cruel para um cara como ele.

Cresceu, começou a estudar, fez amigos, mas diferente de mim, meu irmão sempre conseguiu MANTER suas amizades, tem amigos desde os tempos que estudava alfabetização, amigos estes que estão aqui compartilhando de nossa dor.

Meu irmão sempre foi discreto, um cara ótimo para contar segredos, porque ele sim sabia manter sigilo, podia confiar até a senha do cofre, ele manteria essa informação tão bem guardada, até mesmo dele (que a memória as vezes falhava).

Escolheu ser publicitário ainda com 15 anos, em uma dessas feiras de vestibular, e manteve a vontade até ingressar em uma faculdade, e foi aí que ele conheceu as agruras do que era sua profissão. Sempre gostou do que fazia, gostava mais ainda das amizades que ia encontrando pelo caminho, do conhecimento que vinha adquirindo, da experiência que ia acumulando. Sim ele era um cara que estudava seus próprios passos milimetricamente, era perfeccionista ao extremo.

Então o Bruno, aquele que só a família conhecia, tinha uma fragilidade de criança, que vivia triste, que foi gordo quase que a vida inteira, até descobrir o outro que existia dentro dele, um Bruno que era magro, mas que era conhecido como BRUNÃO, esse era novo, mais feliz, que viveu os últimos anos da vida CURTINDO o que a gordura não deixou por 22 anos.

Depois veio a notícia que iria ser tio, foi a notícia mais maravilhosa que poderia esperar, e quando descobriu que era menina, chorou, chorou feliz, porque ele desejava que fosse mesmo uma menina, sonhou um mundo lindo para ela, traçou uma vida inteira para a sobrinha, planejou o primeiro aniversário, e os seguintes... tinha um sonho de levá-la pra viajar com ele.

Sempre iluminado e tão amado, tão amado, que quando partiu, até o céu chorou sua ida, vários rostos que eu conhecia apenas por foto em meio a sorrisos abertos, naquele fatídico dia, estavam chorando, e pedindo que aquilo fosse mentira.

Poxa meu irmão, hoje estou aqui, lendo isso para você, rezando que seu sofrimento, aquela dor que sentia tenha passado, lembrando-me de tantos planos que tínhamos, para a gente, para a NOSSA MARIANA (como você costumava falar), e agora estamos aqui tentando resgatar em cada amigo seu um pedaço de você para continuar vivendo, tentando superar o que parece impossível de ser superado, estamos tentando viver a vida sem você. Pode acreditar tá difícil, tá doendo, mas estamos tentando, porque sabíamos que você não gostava de nos ver tristes, e é por você que vamos tentar.

Obrigada por ter feito parte da minha vida por 31 anos…

03 maio 2014

Ao meu querido irmão Bruno...

734214_258354537658126_1438805513_n

Há menos de um mês perdi uma amiga que era a irmã que eu tinha escolhido, foi doído, foi difícil, não superei, sinto muitas saudades dela, mas ainda sim tinha ao meu lado o meu irmão que Deus me presentiou, esse cara de muitos amigos (digo muitos com propriedade, porque vi mais de 300 pessoas ao nosso lado, chorando por ele), sorriso fácil, só tinha uma paixão declarada, a sobrinha MARIANA.
No dia 30 de abril, meu irmão se queixou de febre, e não quis preocupar ninguém, e com aquele jeitão que todos aqui podem afirmar comigo, disse a minha mãe, não se preocupe, eu vou sozinho, dispensou minha carona até a UNIMED, e foi… eu dormia quando ele voltou, mas o relato da minha mãe foi chocante pra mim, ela viu seu filho caçula, chegar se arrastando pelas paredes, tinha sido liberado para vir se tratar em casa, e ele meu irmão, não mostrara seus exames e foi se deitar, queixando de dor no corpo, e muuuita sede.
No outro dia pela manhã, deduzo que ele tenha vomitado sangue (provas que tivemos após sua morte quando procuravamos uma roupa pra vesti-lo encontramos uma sacola com vestigios de sangue) e notando a gravidade, mais uma vez meu irmão se levantou, foi até o banheiro tomou banho e saiu, dispensando minha ida ao hospital com ele, às 7:30 o coração da minha mãe, tava tão apertado que ela me disse: “filha, o seu irmão não está bem, vamos ao hospital com ele, ainda não recebi notícia.” fui pra acalentar o coração da minha mãe.
Cheguei a UNIMED, ele estava em um leito de emergência pedindo socorro, pela dor que sentia. Sabia que eu não podia ficar mais, liguei pra melhor amiga dele, pra me dar suporte no hospital enquanto eu voltava pra casa deixar minha mãe e minha filha (que estavam no carro), voltei pra casa e a amiga dele me ligou dizendo que ia transferí-lo pra UTI, as plaquetas estavam baixíssimas… às 13:30 meu irmão foi de ambulância para a UTI da ORDEM TERCEIRA, todos os amigos dele, por uma boca só falaram que lá era o pior lugar para colocar meu irmão, mas o que eu poderia fazer??? se me negasse eles afirmariam que estava assinando a pena de morte dele, ele precisava de transfusão de plaquetas, precisava ser atendido por um INFECTOLOGISTA, mas na MALDITA UNIMED não tinha nenhum de plantão (apesar de todos saberem que deveriam ter profissionais de sobreaviso) às 15:30 recebemos a pior notícia que poderiamos esperar, minha mãe rezava no quarto, quando do hospital me ligaram, pedindo mais documentos, sabíamos que isso não era verdade, porque eu tinha deixado todos os documentos imaginaveis dele... então a recepcionista me ligou pra dizer que meu irmão, aquele carinha que a vida inteira eu briguei, perdi meu tempo em brigas banais, por besteiras, não estava mais vivo, e para uma funcionária de lá ele era mais uma estatística.
Hoje ouvindo uma canção do Chico Buarque me fez pensar que essa tal de saudades é muitas vezes doída…

Pedaço de Mim (Chico Buarque)

Oh, pedaço de mim
Oh, metade afastada de mim
Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar

Oh, pedaço de mim
Oh, metade exilada de mim
Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais

Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu

Oh, pedaço de mim
Oh, metade amputada de mim
Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi

Oh, pedaço de mim
Oh, metade adorada de mim
Lava os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus
Bruno

18 abril 2014

Amigas para sempre…

223413_2039087301992_63451_n

Qualquer tipo de perda é meio dolorosa, seja ela emocional, física, financeira, mas posso dizer que uma perda que mexe com a gente é sempre a perda de um ente querido, seja ele parente ou não, sofri uma perda que não sei se vou conseguir superar, estou desde o dia que soube do ocorrido sem conseguri dormir direito, pensando, refletindo, relembrando…

Uma semana dessas, meu irmão perdeu um amigo, e ficou arrasado por dias, não posso dizer que superou, mas posso dizer que hoje em dia ele lembra com carinho desse amigo, eu passei pela perda mais dolorosa que já aconteceu na minha vida, e acho que se compara com a perda da minha vó materna, no ano passado.

Perdi a Margha (apelido carinhoso que a batizei), a Margha foi a pessoa tão parecida comigo que resolvi me relacionar, resolvi adotá-la como irmã, não lembro como tudo aconteceu, mas lembro que inicialmente eu não gostava dela e ela não gostava de mim (o filho dela tinha 6 meses a primeira vez que a vi), mas posso dizer que quando a conheci melhor, conheci um lado diferente daquela mulher petulante, grossa, um lado carismático, uma mãe dedicada, cozinheira de mão cheia, brincalhona, risonha… as pessoas que apresentaram-na foram as mesmas que hoje a crucificavam, que a deixaram morrer…

Conheci a Margareth ela ainda estava casada (união estável) há mais de 10 anos com um carinha que só causou sofrimento na vida dela, posso dizer que a única alegria que ganhou com esse casamento foi um filho, ao qual ela amava com todas as forças, um filho homem, que ela desejava demais, e o batizou com um nome composto, o que sempre eu tirava sarro por serem dois nomes fortes para um pequeno menino: Vyctor Thyago (como ela salientava: Y e THY), mas a nossa amizade ficou forte quando houve o rompimento do casamento dela, ela se perguntava (como toda a mulher que sai de um casamento falido), onde foi que errou, já que fez tudo por ele, além de deixá-lo sujar o nome dela em todas as lojas das quais ela tinha cartão, cuidou dele nas várias vezes que estava embriagado (ou drogado), cuidou dele também quando sofreu acidente… NÃO ELA NÃO ERROU COM ELE, como todos os homens, ele era mais um ingrato!

Conheci uma mulher frágil por trás daquele sorriso constante, uma mulher que chorava escondida, depois que filho ia dormir, ou quando estávamos só nós duas, por vezes vi aquela mulher rezar para que a chuva não tivesse vento forte para que a casa (de madeira) não caísse sobre as cabeças deles, vi fazer jornada tripla pra dar o melhor para o filho, a vi chorar quando o PAI de sua cria o abandonou, para viver uma nova paixão, a vi cair e levantar… Sempre que eu precisei dessa mulher, mesmo com todos os problemas que ela tinha, um deles era a asma e as pontadas no coração que sempre teimavam machucá-la… estava pronta pra me receber de braços abertos, me dava o ombro, o abraço, uma palavra de carinho, cuidou da minha filha quando precisei.

Descobri o que era ter e ser amiga com ela e quando tive que mudar de endereço, a vi chorar feito criança na hora da despedida, como se eu fosse morar em outro país… ela foi a primeira a saber da minha gravidez (muito antes de mim), cuidou de mim, me mimou, e muitos com inveja diziam que éramos mais do que amigas, eu também acho que fomos mais do que amigas, fomos IRMÃS, nos escolhemos…

Hoje choro a partida dessa amiga, não pelo simples fato de a hora dela ter chegado, NÃO, choro porque a partida dela foi antecipada, por seus gritos de socorro serem atendidos, por ter sido negligenciada, por ter sido preterida…choro baixinho pra ninguém ouvir, lamento a falta, os apelidos, as mensagens que me faziam bem, as piadas no celular, ela era a única pessoa que só dormia depois da meia noite só para me desejar PARABÉNS no dia do meu aniversário…

E agora??? como vou SER sem você, já que éramos como unha e carne, como vou ser depois que você saiu da minha vida??? Te odeio por isso, me sinto órfão, viúva, abandonada…

Margha, por onde você foi andar???

Quantas saudades você está causando em meu coração.

TE AMO MIGA para sempre, até os fins dos meus dias, e além!!!!